Garotos-propaganda de marcas ligadas à "Carne Fraca" são trollados

Tony Ramos, estrela de campanha da Friboi, foi alvo de provocações nas redes sociais

Personalidades que emprestaram sua credibilidade para campanhas das marcas envolvidas na operação Carne Fraca, da Polícia Federal, têm sofrido provocações nas redes sociais desde sexta-feira (17). O ator Tony Ramos, que estrela as propagandas da Friboi cujo slogan é “carne confiável tem nome”, foi o principal alvo de piadinhas na internet.

Circulam pela rede imagens do personagem Chewbacca, de Star Wars, sendo “preso” em referência a uma improvável detenção do ator protagonista das campanhas da Friboi. Em outra montagem, Tony Ramos aparece dentro do frigorífico mostrando onde o “frango é misturado com papelão”, em referência à denúncia feita pela polícia federal.

Em entrevista ao site Ego, o ator se disse surpreso com as denúncias e que acredita na qualidade  dos produtos da marca. "Estou surpreso com essa notícia. Eu sou apenas contratado pela empresa de publicidade, não tenho nenhum contato com JBS", afirmou o ator. A Lew'Lara\TBWT é responsável pelas campanhas da marca.

"Eu já visitei uma das fábricas, continuo comprando os produtos Friboi, eu tenho carnes deles agora no meu freezer e uso nos meus churrascos do fim de semana", disse Tony Ramos.

Fátima Bernardes, uma das estrelas das campanhas da Seara, assinada pela WMcCann, também foi lembrada. Em um dos memes mais compartilhados, a apresentadora aparece com um prato de feijoada com a seguinte legenda: "Tá sentindo esse cheirinho? É papelão”.

Outra marca envolvida nas denúncias de alteração na carne, a Sadia também não foi perdoada pelos consumidores. Imagens da campanha do presunto Sadia, em que o produto disputa a preferência do público com o concorrente Luis Augusto, foram compartilhadas com comentários irônicos.  “Parece que o Luís Augusto não era tão ruim assim, né?”, comentou um seguidor no Twitter. A campanha original é assinada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi.

Comunicados oficiais

A JBS, responsável pelas marcas Friboi e Seara, veio a público comunicar sua versão dos fatos em relação às denúncias da última sexta-feira. O grupo destacou em nota oficial e também em campanha na internet e televisão que “é a maior empresa de proteína no mundo, com 234 unidades, e emprega 230 mil pessoas”. Disse ainda que “a companhia não tolera qualquer desvio de qualidade nos seus processos industriais”. O comunicado completo pode ser conferido no site da empresa.

Já a BRF, que tem as marcas Sadia e Perdigão, atualizou seu posicionamento em relação a Operação Carne Fraca. A companhia destacou que a fábrica da BRF de Mineiros, interditada em Goiás, é responsável por menos de 5% da produção total. Eles produzem carne de frango e de peru, e foi interditada pelo Ministério da Agricultura de forma preventiva e temporária, mesmo o juiz da operação ter julgado desnecessário. A empresa, em breve, vai prestar esclarecimentos e informações para atestar a segurança.

Sobre a presença de salmonela nos produtos, a companhia explica que existem mais de 2.600 tipos e que é comum em produtos alimentícios de origem animal ou vegetal. No entanto, são facilmente eliminados com o cozimento adequado dos alimentos. Com uma determinação da União Europeia em 2011, o novo regulamento proíbe os tipos SE e ST, salmonelas que não estavam presentes nos lotes.

Em relação ao uso de papelão, a empresa diz que não existe o material em nenhum dos seus produtos. O que houve foi “um grande mal entendido na interpretação do áudio capturado pela Polícia Federal. O funcionário estava se referindo às embalagens do produto e não ao seu conteúdo. Quando ele diz “dentro do CMS”, está se referindo à área onde o CMS é armazenado”.

As acusações de comercializar carne podre não estão relacionadas à BRF, diz o comunicado. “As menções a produtos fora de especificação, no âmbito da operação Carne Fraca, dizem respeito a outras empresas, como pode ser comprovado no material divulgado pela Polícia Federal. A BRF lamenta que parte da imprensa tenha inserido o seu nome de maneira equivocada em reportagens que tratam desse assunto, confundindo os consumidores e a sociedade”.

A companhia afirma que não está de acordo com práticas ilícitas e corrupção e que já tomou medidas necessárias para a apuração dos fatos. Sobre a prisão de Roney Nogueira dos Santos, gerente de relações internacionais e governamentais da BRF, a empresa afirma que ele se apresentou voluntariamente às autoridades brasileiras, ainda no aeroporto, ao voltando de uma viagem de negócios na África do Sul.

A Sadia é atendida, atualmente, pela F/Nazca Saatchi & Saatchi. Já a Perdigão tem como agência a DM9DDB. Recentemente, a Sadia anunciou uma parceria com Jamie Oliver, com o lançamento de “Pratos para Cozinhar Sadia & Jaime Oliver”. A BRF divulgou um posicionamento na TV aberta:

 

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações