Escândalo sobre vazamento de dados no Facebook chega ao Brasil

Ponte Estratégia era parceira de consultoria britânica acusada de usar informações em favor de Donald Trump

A consultoria de marketing político Ponte Estratégia não é mais parceira da britânica Cambridge Analytica (CA), responsável pela campanha à presidência de Donald Trump no digital. Em meio às denúncias de que a empresa teria obtido informações privadas de mais de 50 milhões de usuários no Facebook e cruzado os dados para entregar propaganda personalizada em favor do candidato republicano, seu braço brasileiro decidiu romper contrato com a companhia.

Em dezembro passado, o marqueteiro André Torretta anunciou ao mercado que misturaria os antigos serviços de sua empresa, especializada no perfil de brasileiros da classe C, com o método importado da Cambridge Analytica, passando a oferecer a novidade testada nas campanhas que elegeram Trump nas eleções brasileiras.

No exterior, a empresa britânica se tornou conhecida por combinar abordagens de psicologia comportamental com rastros deixados pelos usuários na internet a fim de traçar o perfil de potenciais eleitores, facilitando o endereçamento de mensagens publicitárias.

Gage Skidmore/ Wikicommons

Com a notícia de que a Cambridge Analytica teria encontrado uma forma de burlar os mecanismos de segurança do Facebook, criando um quizz que ao final recolhia informações pessoais de usuários - denúncia feita por um ex-funcionário da empresa ao The New Yok Times, Guardian e Observer - seu braço brasileiro anunciou que está rompendo a parceria de negócio até que os fatos sejam esclarecidos.

Em nota oficial, a Ponte ressaltou ainda que “vinha tendo dificuldade em tropicalizar a metodologia da parceira. E desenvolvia paralelamente seu próprio método de segmentação e gestão de canais, levando em consideração a cultura e o comportamento do brasileiro, cujo estudo é o principal ativo da Ponte desde 2008, quando foi fundada”.

O caso envolvendo a rede de Mark Zuckerberg foi manchete nos principais jornais do mundo e impactou diretamente os negócios da companhia. Sua ações na bolsa caíram 6% nesta segunda-feira (19) depois das primeiras repercussões sobre a denúncia. Segundo a Folha de S.Paulo, a queda pode reduzir o valor de mercado da rede social, que era de US$ 538 bilhões em cerca de US$ 30 bilhões.

Leia a seguir a nota oficial na íntegra da Ponte Estratégica:

"No início de 2017, A Ponte foi procurada pela Cambridge Analytics e celebrou uma parceria com interesse em atuar no Brasil. O principal critério de busca dos parceiros locais pela CA era  a expertise local. O interesse da Ponte era buscar conhecimento complementar na área de dados.

Neste final de semana, recebemos a notícia de que a CA estaria recebendo uma denúncia do Facebook, quanto ao uso dos seus dados. É importante dizer que os fatos não aconteceram no Brasil. No entanto, a Ponte decidiu não renovar a parceria com a CA, até que tudo seja esclarecido.

A Ponte esclarece também que vinha tendo dificuldade em tropicalizar a metodologia da parceira americana. E desenvolvia  paralelamente seu próprio método de segmentação e gestão de canais, levando em consideração a cultura e o comportamento do brasileiro, cujo estudo é o principal ativo da Ponte desde 2008, quando foi fundada por seu atual presidente André Torreta. 

A Ponte faz questão de deixar claro que em 10 anos de atuação, sempre pautou-se pela ética e transparência em seus negócios".

Leia mais
Facebook é envolvido em novo escândalo de vazamento de dados

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações