Especialista dá dicas para comunicação digital de PMEs

PROPMARK entrevista o executivo João Paulo Gonçalves, CEO da Lista Mais

Divulgação

Há uma constante preocupação das grandes marcas sobre as tendências no mundo digital. Mas e as pequenas e médias empresas? Como devem se portar? Pensando nisso, PROPMARK entrevistou João Paulo Gonçalves, especialista em tecnologia e CEO da Lista Mais, plataforma de busca de pequenas empresas e profissionais liberais locais, para comentar quais são as novidades que estão transformando o mundo dos negócios e como as empresas podem se adequar a essas novas tecnologias.

1 - Muitas PME's acreditam que a comunicação digital é mais barata. Elas estão certas? Por quê?
Como a maioria das empresas PMEs trabalham com o público local, a comunicação digital pode ser mais barata devido a possibilidade de segmentação geográfica. Ou seja, é possível segmentar geograficamente para que as pessoas que moram em um raio de seu interesse, possam ver seus anúncios digitais.

A comunicação digital também é mais barata por causa da dificuldade da mídia tradicional em segmentar, um exemplo é a TV que transmite o anúncio para a abrangência que ela alcança.

2 - A maioria das PME's (e as grandes empresas também) não gastarão mais do que o necessário. Muitas ainda temem investir no digital com medo de não dar retorno. O que você teria a dizer para essas empresas?
Nenhuma mídia garante retorno, não é possível esperar até surgir uma que vai garantir resultados em cima do que foi investido. Para diminuir essa incerteza é preciso fazer um bom planejamento, conhecer seu público, suas necessidades, comportamento e mensurar toda a ação que você realizar.

Os instrumentos de mensuração podem resultar numa melhora do investimento, pois você pode fazer testes no digital, ter ferramentas que ajudam a mensurar o retorno efetivo que cada mídia oferece. Um conselho que dou para as pequenas empresas é que invistam, façam tentativas, utilize testes A/B e ferramentas que possibilitem um mínimo de mensuração.

3 - Vídeos podem custar caro, mas vocês apostam como uma das tendências de 2019. Acredita que pequenas empresas podem investir no formato?
O vídeo pode custar caro se o investimento for feito em grande produção, mas se a empresa utilizar vídeos institucionais, apresentando seus produtos ou execução dos serviços prestados, as facilidades que a empresa oferece, conveniências na hora da entrega, não custa caro. Hoje em dia existem muitas produtoras locais que fazem esse trabalho com preços acessíveis.

Os vídeos devem fazer parte da estratégia de marketing das empresas, pois os consumidores preferem assistir o vídeo ao invés de ler um texto. No vídeo é possível utilizar vários instrumentos como som, narração, e legendas que ilustram com melhor exatidão aquilo que o consumidor está vendo. Existem estudos que demonstram que 80% de todo tráfego na internet a partir de 2020 será em vídeo. A maior tendência para as PMEs é o investimento em conteúdo no formato de vídeo.

4 - Se há um elemento da lista de tendências que uma PME não pode ignorar de jeito nenhum, qual seria?
O elemento que a PME não pode ignorar é o mobile, que representa 70% do tráfego da internet. Hoje em dia, as pessoas estão utilizando muito o celular para pesquisas, utilizando os recursos que ele oferece como a geolocalização, ou seja, pesquisam por lojas mais próximas. As pessoas também utilizam canais de mensagem instantânea como o Whatsapp, que já é nativo do smartphone. O próprio site ou loja virtual da empresa deve ser responsiva ou feita para celular. Por isso, o consumidor não pode ignorar essa tendência que é o mobile, que trouxe um novo comportamento para as pessoas e essa facilidade de fazer pesquisas a todo mundo, até mesmo no trânsito, que antes era possível apenas por meio de computadores.

O mobile é a principal tendência que as PMEs deveriam estar pensando como estratégia. Elas também devem verificar se o site da empresa possui uma boa velocidade de carregamento, se a empresa está aparecendo quando as pessoas buscam lojas mais próximas, se possui integração com Whatsapp no site para que o público possa se comunicar com o seu negócio.

5 - Há algo que não comentamos que você queira ressaltar?
Minha última dica é para que as empresas tenham um planejamento antes de tomar decisões, de contratarem publicações em redes sociais. É melhor se planejar para saber onde você deseja chegar, estudar o comportamento do seu consumidor, saber qual canal ele utiliza e em quais momentos, qual conteúdo ele mais consome e utilizar isso como estratégia e não apostar em soluções unilaterais, como o uso de uma ou outra ferramenta de marketing. É preciso utilizar um composto de marketing, e não apenas impulsionar produtos nas redes sociais, que estão trazendo cada vez menos resultados para as empresas, mas sim pensar em estratégias de criação de conteúdo e construção de marca.

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações