Dicas para novatos em Cannes (II)

Tire um day-off e/ou nights-off para passeios pelas redondezas

Na semana passada, comecei uma série de dicas para quem vai a Cannes pela primeira vez. São dicas de quem foi ao festival pela primeira vez há 20 anos. Logicamente, que a programação deve levar em consideração o perfil e os interesses de cada um. Eu apenas passo a minha visão e da experiência Cannes.

Antes de continuar, porém, vale relembrar as dicas da semana passada: 1- Navegue pelo site do festival e programe-se com antecedência; 2- Chegue cedo ao Palais e veja as shortlists; 3- Vá além do Palais – visite estandes e espaços externos; 4- Vá cedo para a fila do Lumière (18h) para garantir bom lugar nas cerimônias de premiação; 5- Palestras de  celebridades? Só se for para tietar...; 6- Explore os festivais paralelos (Entertainment, Innovation e Health).

Agora vamos às quatro restantes:

7- Faça networking. O festival reúne gente de 100 países. Só do Brasil, esperam-se uns 700. Ao todo, deveremos ter 15 mil participantes. Aproveite então para conversar com a pessoa ao seu lado nas palestras ou nas demais atividades do festival. Compartilhe uma mesa na cafeteria do Palais e troque experiências com colegas brasileiros ou de outros países. Vale sempre lembrar que o festival já não atrai apenas profissionais de criação – tem muita gente de clientes frequentando o Cannes Lions.

8- Como absorver o imenso conteúdo do Cannes Lions? Não tem jeito: a gente vai dormir todas as noites com a sensação de que perdeu algo importante do festival. Tem muito conteúdo sendo passado simultaneamente. Para minimizar a sensação de perda e ficar update, não deixe de ler as resenhas das apresentações na publicação diária do festival. Ela é distribuída fartamente no Palais e nos espaços paralelos. Alguns hotéis também a recebem diariamente. Vale a pena também combinar com colegas para dividir impressões no fim do dia ou no happy hour, enquanto degustam um vinho “nacional”.

9- Curta a Côte d’Azur. Você estará numa região muito bonita e disputada pelo turismo doméstico e internacional. E em pleno verão. Tire um day-off e/ou nights-off para passeios pelas redondezas. Você tem a linda cidade medieval Saint-Paul-de-Vence, nas montanhas. A icônica Monaco está a menos de 40 km de distância. Uma boa dica é rachar um carro alugado com amigos e jogar no Cassino de Monte Carlo e dar uma volta pelo famoso traçado da F1 na cidade. Se você estiver acompanhado, tem a romântica Èze, encrustada numa montanha à beira-mar, parecida com Saint-Paul-de-Vence, na sua arquitetura e charme. Se você quiser ir um pouco mais longe, mas não muito, tem ainda a emblemática Saint-Tropez, a aproximadamente 80 km. E, mais perto, tem a ilha de Sainte-Marguerite, bem em frente a Cannes, onde você encontrará o presídio do famoso prisioneiro da máscara de ferro, além de curtir, de barco, uma das vistas mais bonitas de Cannes, com a vantagem de não precisar pegar carro.

10- Gastronomia e compras – porque ninguém é de ferro. Sim, dá para fazer compras vantajosas em Cannes. Você encontra uma variedade imensa de vinhos num simples Carrefour. Tudo a preços baixíssimos, quando comparados com o Brasil. Mas, até mesmo roupas, vale a pena. Minha dica é a Rue d’Antibes, com diversas lojas famosas (e não famosas) com roupas que, mesmo em euros, vale a pena pela qualidade. Após o fim da Antibes, tem uma região com lojas ainda mais baratas.

Falando em gastronomia, bem, estamos na França. Então é difícil ter uma experiência ruim, mesmo nos restaurantes mais simples. Mas o que é imperdível mesmo são os happy hours e os jantares na Le Suquet, apelidado pelos brasileiros de Pelorãn (Pelourinho afrancesado). De fato, as ruelas estreitas de Le Suquet se parecem com as do Pelourinho, mas a oferta de bares e restaurantes é muito grande.

O lugar é próximo do Palais (dá para ir a pé) e fica apinhado de publicitários que dão uma esticada por lá. Se quiser jantar num desses restaurantes, é melhor reservar. Pois bem, aí estão as dicas que julgo ser essenciais para quem vai pela primeira vez ao Cannes Lions. Estarei lá mais uma vez, representando a Fenapro, e teremos atividades especiais para publicitários brasileiros. Até lá!

Alexis Thuller Pagliarini é superintendente da Fenapro (Federação Nacional de Agências de Propaganda)

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações