Saindo da modorra

Finalmente, o mercado publicitário brasileiro começou a se mexer, dando sinais de que vai dizendo adeus à letargia.

Vários fatos ocorridos nestes últimos dias autorizam-nos a crer que o pior momento da baixa econômica já passou, restando-nos agora a esperança próxima de que o país dá início à tão esperada retomada.

Nossa observação está sendo feita diante dos últimos movimentos na comunicação em geral e particularmente no mercado publicitário, com profissionais importantes trocando de agências, sempre um sinal de que logo mais teremos mudanças de clientes.

A ida de Ricardo John para a FCB, a saída de Sergio Amado do Grupo WPP e de Fabio Fernandes da F/Nazca S&S podem significar novas surpresas nos próximos dias, como sempre tem ocorrido quando mudanças desse porte são anunciadas.

Além disso, julgamos da maior importância o anúncio dos irmãos Marinho, durante a inauguração do MG4, contendo três unidades de gravação integrando os Estúdios Globo.

Tratou-se de um investimento superior a R$ 200 milhões, em um período de crise econômica que tolheu sobremaneira o mercado de comunicação do Brasil.

O destaque mais importante dessa cerimônia de inauguração, transmitida ao vivo na noite de quinta (8), para todo o país, foi o anúncio da flexibilização da forma de atuar da emissora com agências e anunciantes.

Remetemos o leitor à página 54 desta edição, onde o nosso editor Paulo Macedo, especialmente convidado pela direção da Globo, descreve em minúcias a transformação pretendida pela maior emissora do país, com a conclusão dessa obra que volta a fazer-nos acreditar no país.

 

***

 

Nossa matéria de capa capta com precisão a importância do som para as grandes marcas do mercado. Inegável que a publicidade sempre se valeu desse ferramental, para tornar inesquecíveis marcas e produtos que souberam explorar fenômeno sonoro, que afirmamos sem medo de errar tem maior potencial de lembrança nas mentes consumidoras do que a beleza e criatividade das imagens compondo um comercial campeão.

Até pela simplicidade ao atingir o público, o áudio passou a substituir as assinaturas gráficas (logos) de tradicionais marcas, como foi lembrado no recente Cannes Lions.

Faça um teste em sua casa ou com os seus amigos: muitos conseguirão assobiar ou cantarolar várias identidades sonoras de marcas variadas e poucos descreverão hoje os grandes comerciais mais recentes, ou mesmo do momento.

Claro que a junção do áudio com a imagem, sendo de primeiríssima qualidade e inventividade, torna-os inesquecíveis em muitas cabeças. Mas, a possibilidade de lembrança de um só recurso de comunicação, como o áudio, é maior.

Faça um teste o leitor neste momento: conte de quantos áudios publicitários se lembra e é até capaz de assobiar. Agora, tente se lembrar, sem apelar para nenhum recurso a não ser a sua prodigiosa memória, quantos comerciais ficaram retidos na sua memória até hoje.

Pode ser que não, as pessoas são diferentes entre si, mas apostamos como a maioria lembrada pertence ao lado dos áudios.

 

***

 

Duas entrevistas enriquecem ainda mais a presente edição do seu PROPMARK: uma, com a competente Célia Pompeia, vice-presidente executiva do Grupo Doria, falando sobre o consagrado Fórum de Marketing Empresarial deste ano.

Como tem sido ano após ano, o Fórum uma vez mais se realizará no Sofitel Guarujá, um hotel que qualquer europeu ou norte-americano elogiaria. O tradicional evento terá início na tarde da 6ª feira, dia 23 deste mês, com término previsto para as 12 horas do domingo, 25.

O programa do Fórum tem sido cada vez mais atraente, debatendo em seus painéis e palestras individuais temas momentosos para os quais precisamos da ajuda dos palestrantes e debatedores de um evento como o Fórum, para melhor entender para onde devemos caminhar.

Outra entrevista imperdível desta edição tem como protagonista Eduardo Tracanella, diretor de marketing institucional e atacado do Itaú, banco pioneiro na adoção de propaganda criativa para o seu setor.

Como acompanhamos o mercado publicitário há pouco mais de 54 anos, lembramo-nos até com certa facilidade das primeiras investidas publicitárias de alguns estabelecimentos bancários, a maioria já não mais existindo, ou porque fecharam, ou porque se juntaram a outros, com mudanças frequentes em suas marcas-símbolos.

Se uma permaneceu, com a força do significado do nome (“pedra preta” em tupi-guarani), essa é aquela para a qual o nosso entrevistado trabalha há anos, interagindo com a agência que igualmente há anos atende o Itaú.

Embora não seja mais dos seus fundadores, dois deles criando outras marcas no paraíso, a DPZ, hoje DPZ&T, numa fusão que surpreendeu o mercado na época, por ser então impensável a entrada do igualmente talentoso e vitorioso Taterka no trio da agência nascida na rua Colômbia, em São Paulo.

 

***

 

Reprovável a decisão do Executivo Nacional cancelando a obrigatoriedade da publicação dos balanços contábeis das sociedades anônimas nos jornais.

Pior foi a explicação dada pelo próprio presidente da República, alegando uma vendetta contra a imprensa, por estar sempre a criticá-lo.

Daqui fazemos um apelo a ele para revogar tal decisão, que não se coaduna com a grandeza do cargo para o qual foi eleito, inclusive por milhões de leitores de jornais.

 

***

 

Enquanto isso, a TV Cultura de São Paulo (Fundação Padre Anchieta), hoje presidida pelo ex-publicitário, editor e profissional de comunicação José Roberto Maluf, promoveu a primeira gravação do Roda Viva sob a nova gestão, convidando Felipe Santa Cruz, presidente da OAB-Brasil, para ocupar a cadeira de entrevistado. 

José Roberto Maluf convidou inúmeros profissionais de comunicação para a gravação, iniciativa que proporcionou a muitos deles frequentarem pela primeira vez na vida, ou depois de muitos anos, a bem montada sede da emissora.

 

***

 

Sandra Martinelli, presidente-executiva da ABA, anunciando o ABA Mídia 2019 para a manhã do próximo dia 27, no Teatro Unibes Cultural, em São Paulo.

Ela mesmo brifa o tema: “O novo consumo de conteúdo e a evolução das mídias na comunicação das marcas”.

Armando Ferrentini é publisher e diretor-presidente do PROPMARK (aferrentini@editorareferencia.com.br).

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações