Está na hora de mostrar a que viemos

Videomaker

O mundo vem caminhando em suas mudanças de paradigmas e, principalmente, abrindo mão de preconceitos que acompanham a sociedade desde quando ela se formou. A mulher foi, por muito tempo, colocada numa posição pouco privilegiada em todos os sentidos e, claro, isso não foi diferente dentro no mercado audiovisual.

Venho acompanhando esse movimento lento há algum tempo, porém constante, e felizmente vemos uma mudança. Hoje é possível encontrar até 70% ou 80% de mulheres nas equipes de filmagem e clientes.

Atualmente o que me chama muito atenção, além dos movimentos de minorias, é a globalização. Acho fantástica esta possibilidade de crescimento mundial, vejo como uma providência divina! Se fôssemos depender da iniciativa de cada país, e de seu interesse em desenvolver a evolução de todo aquele que tem menos condição, estaríamos muito aquém.

Acredito que a população mundial se beneficiou muito deste recurso e da velocidade da comunicação.  O volume de informações é infinito. De certa forma hoje ficou muito mais democrático o processo de criação e produção de propaganda e conteúdo.

Sempre li muito, me interesso pelas artes, povos, seus costumes e religiões, por isto escolhi o cinema como expressão! Sempre me alimentei do cinema e hoje estou na fase de devorar seriados, minha mais nova paixão.

Vivemos no Brasil um novo desafio, produzir conteúdo de qualidade, que possa acrescentar, e arrisco em dizer, acompanhar o cenário mundial. Há uma busca em imprimir a personalidade do brasileiro e entender como ele quer ser visto pelo mundo.

Percebo o trabalho super bem realizado de denúncia, que é o espelho de todo este momento de limpeza profunda que temos que passar para darmos continuidade a esta história, esta é sem dúvida a função da arte. Mas acredito que tenhamos como produzir muito mais.

Está na hora de mostrar a que viemos. O feminismo está no ar e ele propõe união, compaixão, delicadeza e amorosidade além da ação! Porque estas são, sem dúvida, características do ser que tem uma das funções mais nobres de todas que é ser mãe e cuidar de sua prole. As mulheres são multitarefas e isto ensina muito.

 

Todos estes elementos juntos constroem mulheres que usam hoje sua sabedoria, seu grande interesse em construir, disposição e vontade de fazer a diferença, para colocar a personalidade no mundo, sem véus, sem maquiagem, sem grandes artifícios.

 

Grandes grupos se formam em todas as áreas, desde atrizes, cineastas, técnicos. Há alguns anos nasceu o FreetheBid, por exemplo, que vem agregando mulheres diretoras no cenário mundial, e expondo seus trabalhos às agências, criando alguns benefícios e colocando luz neste assunto tão delicado. Delicado porque parece que o problema nunca existiu, delicado por não querer chegar da forma mais dura, delicado por ser uma parceria muito recente entre mulheres. Este pra mim é o ponto viceral, pois durante uma vida as mulheres se dedicaram a tudo e a todos, menos a elas e a outras mulheres.

 

Eu tenho tido experiências incríveis com clientes, criativas e equipes das agências, mulheres super preparadas e isto traz um orgulho imenso, porque sabemos como não foi fácil construir esta estrada e quanto ainda temos que percorrer pra chegar num lugar confortável para todo. Lugar este, onde ninguém mais incomode ninguém e sim todos se vejam como uma parte fundamental deste grande jogo chamado vida.

 

Todos os pontos de vista são muito bem-vindos, e cabe a mulher se posicionar, sim! É preciso trabalhar com seriedade, tranquilidade e com segurança em nosso ponto de vista. Claro, dependemos muito da boa vontade do mercado, dependemos da conscientização de todo o mercado, e tempo para amadurecer o processo para, finalmente, sermos aceitas em todos os lugares.

 

A CINE possui um time que se completa, cada diretor com sua personalidade, homens e mulheres que são capazes na mesma proporção e possuem abertura de cabeças para entender e aceitar esta nova proposta. O mundo carece de abertura, se somos parte de um grupo que visa abrir caminhos, este é um bom desafio.

 

Ainda temos uma longa estrada pela frente, mas o movimento está cada vez mais intenso e com bons resultados. E neste momento é preciso seguir firme, não podemos nos acomodar e achar que a igualdade foi alcançada, trata-se de um trabalho constante.

 

Gosto de destacar algumas palavras: Confiar, Acreditar, Incentivar e Fazer acontecer!

Sejamos conscientes.

 

 

Critina Vida é diretora de cena na CINE Cinematográfica desde o início da produtora. Trabalha com direção há 27 anos, sendo assistente por 10 anos e há 17 como diretora de cena. Possui trabalhos para Cacau Show, Três Corações, Elma Chips e a recente campanha de Extra para Copa do Mundo.

 

 

 

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações