As principais lojas virtuais possuem faturamentos milionários e estão expandindo seus negócios mundialmente.  As vendas online acabam se tornando uma fonte de renda para as empresas, já que muitas das compras passaram a ser virtuais.

Em 2020, por conta da pandemia, o setor teve um grande crescimento que permanece em 2021. No primeiro semestre do ano, houve um crescimento de 31% em relação ao ano anterior e o faturamento chegou a R$ 53,4 bilhões.

Nesse período, o número de pedidos chegou a 100 milhões. Apesar disso, a quantidade de consumidores se estabilizou. Quando se observa, boa parte desses valores estão concentrados em vendas feitas nas principais lojas virtuais. Os consumidores as conhecem e confiam e acabam fazendo suas compras por esses canais.

Faturamento com e-commerce chegou a mais de R$ 50 bilhões

As principais lojas virtuais

As principais lojas virtuais são as que geram maior quantidade de pedidos e faturamento. As que mais se destacam são os Marketplaces, que comercializam produtos de diferentes vendedores além dos próprios.

O Mercado Livre é o maior do país e da América Latina. Foram vendidos 178,5 milhões de itens apenas no 2º semestre do ano passado. Em relação ao número de usuários, atingiu 51,5 milhões.

A Americanas aparece na sequência, sendo uma loja que tem o nome conhecido há bastante tempo. Alguns dos seus atrativos são os descontos na Black Friday e promoções, como as de frete grátis.

A Amazon ficou conhecida pela venda de livros e itens de tecnologia. No Brasil, ela aparece como as principais lojas virtuais, ocupando a 3ª posição. Entretanto, nos Estados Unidos, é líder de vendas e seu faturamento esse ano deve chegar a $ 386,4 bilhões.

O Magazine Luiza é outra que teve grande crescimento e até se tornou uma grande aposta dos investidores. Após adquirir a Netshoes, em 2019, ganhou ainda mais visibilidade.

Nos EUA, outra das principais lojas virtuais é o Walmart. Ele detém cerca de 14% do mercado de varejo do país e espera faturar $ 67,39 bilhões em 2021. No Brasil, porém, a empresa decidiu encerrar suas vendas online.

Em relação aos e-commerce chineses, esses têm crescido e já representam 50% dos pedidos feitos no mundo.

Um bom exemplo é a AliExpress, que demorou um pouco para se firmar no Brasil, mas aparece em 7º no ranking do país. Ela conta com sellers de todo o mundo e oferta de mais de 200 milhões de itens que são entregues por aqui em até 7 dias.

O que chama a atenção nessas lojas e como se destacar?

Optar por vender nas principais lojas virtuais pode ser uma alternativa para quem possui uma empresa que está em desenvolvimento. Mesmo tendo parceria nas vendas, ainda é preciso ter uma loja virtual própria para garantir mais credibilidade. O criador de sites Zyro, por exemplo, permite criar um e-commerce de maneira simples e com variedade de recursos.

Com a ferramenta é possível integrar mecanismos de comunicação como WhatsApp e os de pagamento. Além disso, o layout é pensado para o negócio e mesmo quem não possui grandes habilidades consegue montar sua loja virtual.

Dessa forma, para criar o próprio e-commerce – além de contar com uma boa ferramenta – é preciso se inspirar nos grandes e usar estratégias que chamem a atenção.

Uma delas é ter uma plataforma que suporte o negócio, e nesse caso pode ser mais interessante optar pelo e-commerce do que um site. Dessa forma terá acesso a maior quantidade de recursos.

A apresentação dos produtos é de suma importância para garantir o sucesso. Eles devem ter imagens reais dos itens e contar com uma descrição detalhada. Para completar, um campo para fazer perguntas ajuda o consumidor a sanar as dúvidas antes de fazer a aquisição.

Os meios de pagamento costumam ser diversificados. O boleto e cartão de crédito aparecem em quase todos eles. Apostar em novos meios como o PIX – que ajuda até a economizar – e as carteiras digitais é outro ponto interessante. 

A forma de envio também pode garantir o sucesso das principais lojas virtuais. Quanto mais rápida a entrega, mais interessante se torna. Por exemplo, o Mercado Livre entrega em 24 horas. Lógico que o valor do frete deve ser compatível com o serviço de entrega.

Por fim, o suporte do e-commerce faz com que ele se destaque. Além de chat e e-mail, é comum ser atendido nas redes sociais e em outros canais. A agilidade do retorno é o diferencial.

As principais lojas virtuais devem ganhar ainda mais consumidores e aumentar o seu faturamento. Entretanto, as menores também possuem espaço para crescer se seguirem as boas estratégias.