Com a quarentena no estado de São Paulo prevista até 10 de maio, o governo começa a anunciar nesta quarta-feira (22) como serão as medidas de reabertura gradual da atividade econômica, que foi paralisada devido às medidas de contenção da epidemia de coronavírus. Segundo o vice-governador, Rodrigo Garcia, trata-se de adoção de “isolamentos ou quarentenas heterogêneas”.

De acordo com matéria da Folha de S. Paulo, primeiro, deve ser permitida a abertura de comércios de rua, mas as autorizações devem depender da situação específica de cada cidade ou região —o ritmo vai depender do aumento do andamento da epidemia, do número de casos em cada região.

“O plano está em construção, em desenvolvimento, e depende de pactuação com setores econômicos”, disse Garcia. Até dia 10 de maio, o governo espera ter mais dados sobre o espalhamento da Covid-19. “Um plano sólido depende da curva epidemiológica, de capacidade de tratar dos doentes, de capacidade de testes, de uma série de condições. Mas também depende de acordo com cada setor de atividade”.

Segundo o vice-governador e secretário de governo, essa pactuação envolve discussões tais como o tipo de segurança que haverá para trabalhadores e clientes das empresas. Por exemplo, o uso obrigatório de máscaras por parte dos empregados de cada empresa.

As diretrizes da reabertura gradual estão sendo definidas pelos secretários Henrique Meirelles (Fazenda) e Patrícia Ellen (Desenvolvimento Econômico). Grupos de médicos, epidemiologistas, empresários, economistas e técnicos do governo discutem ainda o plano e as condições da pactuação.

Publicidade