Brasil
França

“O festival levanta a nossa capivara”, diz Laura Esteves

Diretora de criação da Y&R está no júri de Film do Cannes Lions

Direct

Estreante em Cannes, Laura Esteves se considera uma jurada CDF e fala que estudou todos os Leões de 2016 e 2017 em Film, área que vai julgar, “para me lembrar do sarrafo do festival”. Empolgada com a oportunidade, a diretora de criação da Y&R conta que estar no júri de Film do Cannes Lions é a maior alegria e reconhecimento que um dia poderia desejar. “São pouquíssimas vagas: 12 homens e 5 mulheres que passaram por um rigoroso teste de seleção em argumentação, fluência em inglês, talento e histórico em prêmios”. Nesta edição, Cannes recebeu mais de cinco mil inscrições em Film. Confira a seguir o que a criativa fala sobre sua preparação para o julgamento e expectativas em relação aos trabalhos.

Marçal Neto/Divulgação

Responsabilidade
Ser jurada em Cannes é uma grande honra. Ter esta oportunidade na categoria Film então nem se fala. Desta forma, a expectativa é altíssima. E do mesmo tamanho é a responsabilidade. Já participei de outros júris internacionais e, cada vez que tenho a oportunidade de participar, vejo que aprendo mais e me desempenho melhor no próximo. É uma chance de conhecer pessoas extremamente talentosas e aprender sobre a dinâmica e comportamento dos jurados. Como cada um se expressa, argumenta, conquista os outros jurados. É uma aula.

Candidatos
Alguns trabalhos, como Tide Ads, já vêm premiados de outros festivais e chegam forte em Cannes. Mas sempre existem as surpresas, aquele play que a gente não dá nada no começo, mas acaba se tornando nosso favorito.

Critérios
A quantidade de material inscrito em filme é grande. Este ano, temos mais de 5 mil inscrições em peças que vão desde comerciais de 30 segundos a longas de uma hora e quarenta e dois minutos. Em uma sessão tão extensa, imagino que o desafio seja manter o mesmo critério e disposição do primeiro comercial ao último. Para manter o critério, revi todos os vencedores e shortlists de 2016 e 2017. Sempre que tenho uma dúvida na votação me lembro do que vi e consigo me balizar sobre o que realmente é bom.

Excelência
Alcançar a excelência em um filme é uma combinação especial de ideia, produção, um argumento novo, um insight fresco e outros ingredientes subjetivos que fazem a gente rir ou se emocionar. Tirar uma destas emoções da gente tem muito valor. Como redatora, eu me encanto com filmes de texto puro que os argentinos fazem tão bem.

Recursos
Entre as grandes tendências da área, vemos o bom uso dos formatos respeitando e tirando o melhor da linguagem de cada meio. Já passamos da fase em que o formato pelo formato era a ideia. Hoje os recursos estão disponíveis e conhecidos por todos. Sobressai quem utiliza cada um destes de um jeito mais novo.

Cannes
Em algumas categorias, como inovação, Cannes tem concorrentes fortes, como o SXSW. Mas em filme, que é a minha categoria, Cannes será sempre Cannes.

Jurada CDF
Pelo privilégio e responsabilidade, sou a jurada CDF. Estudei todos Leões de 2016 e 2017 para me lembrar do sarrafo do festival. Em seguida fui acompanhando tudo que tem se destacado desde SuperBowl, One Show e D&AD. Vi o material de muitos colegas do Brasil para saber defender nosso país. E comecei o julgamento online das 460 peças que já temos disponíveis para avaliação do long list. No site da votação, existe uma barra em que você pode comparar o seu desempenho na votação em relação aos outros jurados. Virei a louca da barrinha para ser extremamente pontual e respeitosa com as regras. Meu marido olha para mim de fone o fim de semana todo e pergunta: “Você quis tanto isto que eu achei que era divertido... Você entendeu que está todo mundo avaliando os comerciais e não você como jurada, né?” Tenho um caderninho em que anoto os preferidos. Muitas das ideias caem neste momento do julgamento online. É importante me lembrar de cada um deles quando chegar lá.

Participação
Acho que é a maior alegria e reconhecimento que eu poderia um dia desejar. São pouquíssimas vagas: 12 homens e 5 mulheres que passaram por um rigoroso teste de seleção em argumentação, fluência em inglês, talento e histórico em prêmios. O festival levanta a nossa capivara local e internacionalmente. Passar neste teste já é em si um grande prêmio. Vejo aquele listão dos jurados do mundo todo e penso que é difícil ter alguém ali que desejou isto mais que eu.

Leia mais
“A publicidade no Brasil não é só uma profissão. É uma paixão”, diz Rafael Rizuto
“Ferramenta ganha contorno mais estratégico”, diz Fernando Guntovitch

 

 

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações