Emissoras batem novo recorde com Copa do Mundo

Mesmo sem jogar bem, seleção leva audiência para rádios e TVs

Chahad, da Jovem Pan: parceria com o Twitter estimula interação

O jogo entre Brasil e México, realizado no último dia 17, pode ter frustrado muitos torcedores, que esperavam por uma vitória da equipe de Luiz Felipe Scolari. Mas a decepção ficou por aí. Isso porque, para as emissoras que transmitiram a partida, o clima foi de vitória. A Rede Globo, por exemplo, voltou a bater recordes de audiência. Das sete horas da manhã à meia-noite foi registrado 18 pontos, com 42% de share.

Já do meio-dia às 18h, outro recorde: 23 pontos (com 49% de participação). Apenas o jogo entre Bélgica e Argélia, que antecipou o duelo entre Brasil e México, chegou a marcar 16 pontos e 38% de share – de acordo com a emissora, esse número foi responsável por um aumento de 78% em relação às últimas quatro terças-feiras. Agora, quando a seleção entrou em campo, a emissora registrou 35 pontos de audiência e 64% de participação – números que contribuíram, e muito, para um aumento de 150% em relação às últimas terças.

Já na cola da Rede Globo veio a Band – emissora que também tem o direito de transmissão dos jogos da Copa do Mundo. O jogo colocou o canal novamente na vice-liderança da audiência. A Band registrou, entre às 16h e 17h50 – horário do jogo –, 8,6 pontos de audiência e participação entre os televisores ligados de 15,2%. A segunda partida do Brasil no Mundial ainda marcou picos de 9,8 pontos, também segundo a própria emissora.

Entre as TVs pagas, a ESPN Brasil registrou bons índices de audiência, ficando na segunda colocação entre os canais esportivos em todos os lares e entre os homens de 18 a 49 anos. Já em tempo de permanência no canal, a emissora liderou durante todo o dia de ponta a ponta com uma hora e 25 minutos por telespectador – de acordo com o canal, foi registrado 0,59 ponto.

Rádios
Diferente da medição feita para TV, a audiência do rádio é feita por recall – ou seja: as audiências referentes aos meses de abril, maio e junho só serão conhecidas em julho. Mesmo assim, a Jovem Pan, por exemplo, consegue ter um retorno por conta da parceria feita entre a emissora e o Twitter.

“Em parceria com o Twitter, a Jovem Pan traz o Jovem Pan na Rede, uma ação com a agilidade e a interação que só o rádio e a internet podem proporcionar. Graças a ferramentas inovadoras, trazemos a tradução dos milhões de dados e informações da rede à nossa audiência”, revela Allen Chahad, diretor de conteúdo online da emissora.

Essa parceria com a rede social foi lançada no último dia 11, véspera da abertura da Copa do Mundo. A ação, inovadora, traz possibilidades de interação dos ouvintes com a emissora. Por meio das plataformas integradas com o Twitter, o público participa das transmissões e da cobertura da Jovem Pan na Copa.

De acordo com Chahad, os ouvintes e internautas podem conferir em tempo real o termômetro de popularidade de jogadores da seleção brasileira, craques internacionais que vieram ao Brasil e outras seleções que disputam a Copa. “Além disso, a Jovem Pan traz em uma única página o filtro de opiniões de jogadores, personalidades e famosos, além do próprio time de comentaristas esportivos da casa, claro”, diz. “Por meio da hashtag #CopaJP todos podem virar comentaristas Jovem Pan, tendo suas opiniões lidas no ar pelos locutores da rádio ou exibidas nas páginas do site durante as transmissões dos jogos.”

Wanderley Nogueira, apresentador e repórter da equipe esportiva da Jovem Pan, garante que o jogo foi acompanhado por uma grande audiência. Segundo ele, por conta do congestionamento que se formou em São Paulo no dia da partida, o rádio foi a opção para acompanhar o início. “As nossas redes sociais mostraram intensa participação dos nossos seguidores. Os repórteres nas ruas da cidade registraram flagrantes saborosos, com os ouvintes nos acompanhando em seus veículos. É bom lembrar que o congestionamento na hora da partida atingiu 300 quilômetros. E sabe-se que é enorme o número de pessoas que assiste ao futebol pela TV e ouve o rádio”, afirma.

Internet
Logo após a primeira semana de competição, o Facebook anunciou que a Copa do Mundo mobilizou 141 milhões de usuários, produzindo 459 milhões de interações (posts, comentários e curtidas) e quebrando todos os recordes de criação de conteúdo. O Mundial já é maior do que os últimos grandes eventos somados: Super Bowl (185 milhões de interações), Oscar (25,4 milhões de interações) e Olimpíadas de Inverno de Sochi (120 milhões de interações). Na divisão por países, o Brasil se destaca em 1º lugar, seguido de Estados Unidos, Reino Unido, Indonésia (que não está na Copa) e México.

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações