Lush fecha as portas no Brasil

Marca havia retornado em 2014 depois de 10 anos de ausência, e se retira novamente

Depois de cerca de quatro anos depois de uma segunda tentativa de se estabelecer no Brasil, a marca inglesa de cosméticos naturais Lush  fecha suas lojas e fábrica.

Segundo comunicado oficial da empresa, que não está comentando ou dando entrevistas sobre o fechamento, o  Brasil é um mercado muito difícil para a operação de uma marca britânica que, apesar do crescente aumento de vendas, não conseguiu manter o fôlego diante da alta carga tributária e a prolongada recessão econômica, somados a instabilidade política. 

 "Seguiremos comprometidos em manter nossa contribuição com o debate sobre testes em animais no país e continuaremos usando muitos de nossos ingredientes - desde o cumaru até o mel orgânico obtido com base no comércio justo - vindos diretamente de comunidades locais. Nosso Charity Pot continuará doando todo o dinheiro que for arrecadado até o final das operações. O processo de financiamento segue o padrão de envio do formulário e as diretrizes de financiamento estão publicadas na homepage do site. Existem diversos projetos incríveis acontecendo na área de permacultura e regeneração no país, o que fica evidente quando falamos dos quatro projetos brasileiros finalistas do Lush Spring Prize desse ano, sendo 10 deles só na América Latina. Aguardamos ansiosamente para desenvolver relacionamentos com inúmeras comunidades locais e projetos que focam suas atividades em regenerar a terra, sociedades e economia."

A marca manteve lojas nos shoppings Iguatemi Campinas, Center Norte, Higienópolis e Morumbi e nos Jardins. O time de atendimento ao cliente continuará disponível até o dia 31 de agosto de 2018 para resolver questões de produtos, vouchers de spa e cartões de presente não resgatados.

Desde a sua fundação, há 23 anos, a Lush - pioneira na criação de produtos como as bombas de sal de banho efervescentes, gelatinas de banho e shampoo sólido - trabalhou com ingredientes frescos, como frutas e vegetais orgânicos.

A marca luta globalmente pelo fim dos testes em animais e tem um departamento completo de Compras Éticas, que dá suporte à prática de Comércio Justo e pequenas comunidades. Ela também se dedica ao combate de excesso de embalagens na indústria de cosméticos, e já realizou diversas campanhas públicas a respeito, além de oferecer produtos sem embalagem.

A Lush também apoia pequenas organizações que lutam pelos direitos humanos, direitos dos animais e proteção ambiental. Por meio das vendas da loção corporal 'Charity Pot' - produto cuja venda menos impostos é revertida para ONGs - , a empresa já arrecadou aproximadamente R$ 280 mil no Brasil, sendo que R$ 127 mil já foram doados para 23  organizações. As doações para projetos brasileiros continuarão até que não haja mais dinheiro guardado.

Vale lembrar ainda que em 2016 a Lush Brasil realizou a sua primeira campanha ética local chamada #tambéméviolência, em parceria com a ONG Artemis. O objetivo era conscientizar a população sobre os diferentes tipos de violência contra as mulheres, e identificar os sinais, buscar ajuda e auxiliar mulheres vítimas desta situação. A campanha arrecadou mais de R$ 32 mil com as vendas do sabonete Karma - produto mais vendido o Brasil - que depois foi doado para a ONG.

Atualmente a Lush opera em 49 países, com 932 lojas, 38 lojas virtuais que enviam internacionalmente e uma rede global de aplicativos, canais de notícias e comunidades digitais em mais de 30 idiomas.

Leia sobre o retorno da marca ao país, em 2014

 

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações