Como uma hospedagem ruim afeta negativamente os resultados da sua agência

A revolução digital é um caminho sem volta e vem transformando tanto as empresas quando a vida das pessoas. Já não é mais possível imaginar nosso cotidiano sem as facilidades dos aplicativos, tablets e smartphones.

Uma das principais tecnologias por trás destes dispositivos é a hospedagem em nuvem (Cloud Computing), onde aplicações, dados, documentos e fluxos de trabalho ficam armazenados de forma segura em um servidor externo alocado especialmente para esse fim. À medida que o universo de dados se expande e as organizações procuram explorá-lo em busca de perspectivas, a escalabilidade e flexibilidade do “Ambiente Cloud”, como também é conhecido, torna-se determinante na estratégia das organizações.

 Segundo o Gartner, a Cloud Computing já é uma das forças mais disruptivas da era digital. Até 2020, a receita de infraestrutura como serviço (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS) ultrapassará US$ 55 bilhões, superando o faturamento dos servidores.

Não por acaso, de acordo com uma pesquisa recente com mais de 500 entrevistados globais conduzida em nome do Google Cloud em associação com o MIT SMR Custom Studio, o percentual de cargas de trabalho em nuvem passou de 24% para 44% nos últimos dois anos, e espera-se que chegue a 65% até 2019.

Empresas ligadas à área de publicidade não passam incólumes dessa transformação e a adoção de uma solução em cloud, como é o caso da hospedagem em nuvem, é a grande revolução para alavancar os resultados online de uma agência de comunicação. Apesar de extremamente importante, muitas vezes ainda é negligenciada pelos gestores.

Assim, utilizar hospedagem em nuvem de baixa qualidade para acolher o site de uma agência, além de sites e emails de clientes, traz diversos problemas para o negócio. Geralmente não possuem infraestrutura suficiente para prover páginas de alta performance.

 Imagine que uma agência de publicidade criou um website ou hotsite incrível para um cliente, com imagens bem produzidas, textos redondos e um alto potencial para conversão de leads. Agora, imagine que todo esse esforço sendo jogado fora simplesmente porque o site demora a carregar.

 O fato é que apenas 1 segundo de delay no tempo de resposta de um website equivale a uma diminuição de 7% na taxa de conversão de vendas. Outro ponto é que 3 segundos de carregamento de um site acarreta no abandono de 40% dos visitantes.

 Manter uma hospedagem em nuvem de baixa qualidade também tem a ver com a segurança. Vamos imaginar que o cliente de uma agência é um e-commerce. Como todo e-commerce, o site terá um sistema de cadastro e um sistema de pagamento. Clientes que comprarem nesse e-commerce fornecerão emails, senhas e dados de cartão para efetuar pagamentos.

 Numa hospedagem ruim, clientes podem ter seus dados expostos ou roubados pela falta de segurança. Assim, ter uma boa hospedagem não é uma questão apenas de performance, mas de confiabilidade.

  Por essas razões, sempre é necessário pensar a longo prazo e verificar a necessidade de obter uma hospedagem cloud que oferece grande capacidade de armazenamento e segurança. Se por algum motivo essa disponibilidade não for garantida, a agência de publicidade corre o risco de ter seu site ou campanha fora do ar e ameaçado constantemente.

Arthur Furlan é CEO da Configr (soluções em automação e gerenciamento em nuvem)

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações