"Se o projeto envolve câmeras, som e Brasil, estamos às ordens", diz BPS

Entre outros projetos, empresa foi responsável pelas filmagens de Vingadores no Brasil

Divulgação

A comédia “Minha Vida em Marte” já foi vista por mais de três milhões de brasileiros. O longa conta com cenas dos protagonistas Mônica Martelli e Paulo Gustavo em Nova York. Filmada em setembro em lugares como Central Park, Greenwich Village, SoHo e Time Square, no set estiveram não só a dupla brasileira como uma equipe composta, em alguns momentos, por mais de 80 pessoas. Nos bastidores de toda operação estava a Brazil Production Services (BPS), empresa de serviços de produção audiovisual sediada em Los Angeles com escritórios em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Especializada em realizar produções audiovisuais brasileiras nos EUA, a BPS também oferece suporte quando estúdios e produtoras americanas desejam filmar no Brasil. Para “Vingadores: Guerra Infinita”, a BPS fez um pacote de serviços para facilitar uma unidade de filmagem do longa-metragem no Maranhão. O planejamento de quase seis meses foi feito sob sigilo e o filme ganhou o codinome de “Mary Lou” para que não soubessem para qual produção as imagens estavam sendo capturadas.

Os desafios foram diversos. "Fomos contatados pela Disney/Marvel Studios para realizar uma filmagem no Maranhão, mais precisamente no Parque dos Lençóis Maranhenses. O diretor do projeto queria usar as belas dunas da região como fundo para certas cenas no filme. Pra cumprir nossa missão, primeiramente tivemos o desafio de adequar a produção às condições físicas do local. Por ser afastado de tudo; tivemos que fazer visitas técnicas para entender as locações, alugar veículos 4x4 e frotas de jipes para atravessar áreas alagadas e acessar certas partes mais remotas e longínquas do parque", explica Thiago da Costa, CEO da BPS.

Divulgação

"Foi exigido também que fizéssemos imagens aéreas de helicóptero em 8k com uma câmera Red Weapon estabilizada dentro de um sistema de manuseio e estabilização de câmera que tivemos que importar dos EUA pois não existe ainda no Brasil. Ou seja, o meio de campo entre as expectativas de um cliente alto nível como a Disney, e a realidade brasileira, sempre é um desafio nos projetos que fazemos e eu diria que é o nosso maior desafio", complementa.

Divulgação
Reprodução

“Minha Vida em Marte”, distribuída pela Downtown Filmes/Paris Filmes, não é primeira produção brasileira filmada nos Estados Unidos com o apoio da BPS. Os longas-metragens “Não se Aceitam Devoluções”, da FOX, e “Os Saltimbancos Trapalhões: Rumo a Hollywood”, Downtown Filmes/Paris Filmes, já lançados, e “Lucreide Vai para Marte”, ainda a estrear, foram outros filmes rodados em diferentes cidades americanas. Entre outros projetos facilitados estão também “Vai Anitta” (Netflix), “Catfish Brasil” (MTV), “Ultimate Beastmaster” (Netflix) e Lowrider Brasil (Discovery Brasil).

Divulgação

A BPS se mostra otimista para o futuro. "Estamos bem animados para 2019", diz o CEO. "Já temos muitos pedidos de trabalho que estão entrando e já contamos com vários projetos fechados. E o telefone continua tocando e os e-mails chegando. Ano passado batemos recorde de pedidos e faturamento na empresa. Portanto não tenho do que reclamar. Na verdade, durante a grande crise econômica no Brasil, minha empresa só fez crescer. Somos uma pequena empresa, e percebo que o nosso crescimento tem menos a ver com o que acontece com a macroeconomia e a geopolítica brasileira e muito mais a ver com o nosso empenho", comemora.

A empresa também não se limita aos longas. "Nossa expertise é produção audiovisual. O formato quem escolhe é o cliente e a gente faz acontecer. Fazemos publicidade, longas, documentários, filmes corporativos, entre outras coisas. Se o projeto envolve câmeras, som e Brasil, estamos às ordens! [...] Produzimos publicidade para clientes internacionais que desejem filmar no Brasil. Dentre trabalhos de publicidade que já produzimos constam projetos para marcas como Facebook, Google, Decathlon, Ballantine's Sanofi Pasteur, Intel, Dell, Wallpaper Magazine, Pontual Money Transfer, Scania, Amazon, entre outros", explica Costa.

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações