Fórum PROPMARK: grandes nomes discutem a nova criatividade

Roberto Duailibi, Sergio Gordilho, Keka Morelle, Gabi Onofre, entre outros, falaram sobre as mudanças do mercado

 

Alê Oliveira

Aconteceu na manhã desta terça-feira (14), na ESPM Tech, o Fórum PROPMARK 54 anos. O encontro reuniu grandes nomes do mercado para discutir a criatividade contemporânea. O evento teve a abertura de Armando Ferrentini,  publisher e diretor-presidente do PROPMARK.

Alê Oliveira

Boa ideia

Alê Oliveira

Na sequência, ocorreu o primeiro painel da manhã, intitulado "Mesmo com todas as transformações do mercado de comunicação, o que vale ainda é a boa ideia?". Roberto Duailibi, o D da DPZ e lenda da propaganda brasileira, foi um dos debatedores e, do alto dos seus 84 anos, levantou-se para iniciar sua fala. "Uma campanha deve ter emoção. Mas deve ter também racionalidade", disse o publicitário.

Alê Oliveira

Sergio Gordilho também esteve presente e fez questão de levantar-se em seu momento de fala. "Há 30 anos o que ele faz eu vou atrás, então vou ficar em pé aqui também", disse em referência a Duailibi.

"Evoluímos. Não somos só uma indústria de publicidade. Somos uma indústria de comunicação", afirmou o copresidente e diretor geral de criação da agência Africa. "A tecnologia mata a ideia quando você começa a achar que ela é mais importante que a própria ideia", complementou. O criativo também ressaltou que "não existe mais propaganda tradicional. O tradicional da nossa propaganda é ter ideias".

Uma nova geração de profissionais dividiu o palco com Duailibi e Gordilho. Entre eles, Keka Morelle, da AlmapBBDO. "Ser criativo hoje é se colocar numa posição de estudante. Tentar sair do seu ponto de vista [...] Meu incentivo diário na agência é que a gente saia da nossa bolha", disse a diretora de criação.

Alê Oliveira

Para Leandro Castilho, diretor de criação da Comunicação Globo "quanto mais um projeto for honesto e legítimo, mais eficiente ele será". Já Celio Ashcar, sócio da AktuellMix, destacou que: "o que o consumidor espera de nós no fundo é uma experiência".

Gabriela Onofre, sênior e marketing director na Johnson & Johnson, também esteve presente e ressaltou a importância de tocar o coração das pessoas com as campanhas. "A polêmica tem a ver com ser humano. O que é uma boa ideia? É tocar relevantemente as pessoas. Pode ser um sorriso, uma coisa que eu concordo e você não, e isso gera", disse.

Multitela

Na sequência, o segundo painel intitulado "Como ser realmente uma marca criativa em um cenário desafiador com a audiência  multitela?" começou.

Alê Oliveira

"Uma boa ideia dá um frio na espinha", afirmou Kellen Silverio, diretora de marketing da Hasbro, se referindo à campanha de Baby Alive criada pela Ogilvy Brasil e que mostrou que meninos podem brincar com bonecas. "Em quatro dias, crescemos 16% em vendas", disse a executiva sobre os resultados do case.

"A partir do momento que a gente se conecta com a vida real, as ideias mais simples são as que mais têm impactos", afirmou Guilherme Martins, diretor de Reserve da Diageo no Brasil, também presente no painel.

Alê Oliveira

Eduardo Lima, sócio e ECD da Wieden+Kennedy, fez um alerta sobre campanhas com causa: "Tenho visto muita coisa falsa por aí. [...] Vejo coisas e falo: isso é oportunismo da marca, não é autêntico. E o consumidor percebe, ele não é bobo".

Alê Oliveira

Já Laura Esteves, diretora de criação da Y&R, mencionou o caráter democrático na produção das campanhas contemporâneas. "Hoje as fichas técnicas são gigantes porque as ideias são muito mais colaborativas".

"Tudo que desenvolvemos de inovador a gente procura, de certa forma, trazer para a linha de produção", destacou Herbert Zeizer, diretor de publicidade SP da Globosat.

Ativo

O terceiro e último painel foi intitulado: "Por que a criatividade continua sendo um dos ativos mais importantes para a comunicação?". O debate contou com Ana Leão (managing director da Isobar São Paulo); Glaucio Binder (presidente da Fenapro e da Binder); Marcelo Lenhard (CEO da Hands); Vinicius Malinoski (head of creative da The Zoo/Google); Priscila Stoliar (head de marketing do SBT) e Rafael Donato (VP de criação da David).

Alê Oliveira

"A criatividade continua sendo a emoção. Aquilo que diferencia o ser humano da máquina", afirmou Priscila.

Donato também falou sobre a nova criatividade. O criativo que é um dos responsáveis pelas recentes campanhas marcantes de Burger King disse: "não necessariamente precisamos ter a ideia mais criativa, mas a mais rápida e a mais relevante".

Sobre o mais recente esforço criativo de BK convocando o elenco do comercial vetado por Bolsonaro (relembre aqui), Donato revelou números interessantes sobre o case. "O post custou R$ 8 mil. Tivemos quase um bilhão de impressões", disse.

Parafraseando um criativo japonês, Ana Leão disse que a criatividade é o que acontece "quando você não tem dado para explicar".

Alê Oliveira
Alê Oliveira

A cobertura completa do Fórum PROPMARK você confere na próxima edição do jornal.

*O propmark não se responsabiliza pelos comentários postados nas plataformas digitais. Qualquer comentário considerado ofensivo ou que falte com respeito a outras pessoas poderá ser retirado do ar sem prévio aviso.

Receba nossa newsletter

editora referência

O PROPMARK é uma publicação da Editora Referência.
Conheça também nossas outras marcas, prêmios e eventos.

Prêmios e Eventos

Publicações