O Conselho Executivo das Normas-Padrão acaba de divulgar o balanço de investimentos em compra de mídia referente ao primeiro trimestre de 2020. O levantamento mostra que o segmento recebeu R$ 2,9 bilhões no período, frente a R$ 3,7 de 2019, uma queda de 22%.

A análise, entretanto, traz um número menor de agências do que no balanço de 2019: agora, 209 revelaram seus investimentos, contra 214 do passado.

Apesar da queda, o período analisado ainda não reflete o ápice da quarentena brasileira, ocorrida em abril e maio. Entretanto, os meios já sentiram o impacto.

A TV aberta, que segue hegemônica no bolo publicitário com 57.9%, saiu dos R$ 2 bilhões investidos em 2019 para R$ 1,7 bi em 2020. A internet também sofreu: R$ 509 milhões no primeiro trimestre deste ano ante R$ 723 mi em 2019.

Na internet, vale ressaltar, o balanço é dividido. Sendo assim, o maior investimento ficou em Display e Outros (54.6 %), seguido de Social ( 25.9 %), Busca (11.3 %), Vídeo (8.1 %) e Áudio 0.2%.

MEIOValor Faturado
(000)
Share (%)
CINEMAR$ 11.3720.4%
INTERNETR$ 509.40917.3%
JORNALR$ 57.0551.9%
OOH/MÍDIA EXTERIORR$ 330.14211.2%
RÁDIOR$ 138.0414.7%
REVISTAR$ 21.0060.7%
TELEVISÃO ABERTAR$ 1.705.17057.9%
TELEVISÃO POR ASSINATURAR$ 173.9865.9%
TotalR$ 2.946.181
Publicidade